Pular para o conteúdo principal

O que é ventilação mecânica

Entenda sobre o tratamento e quem precisa

O VitalAire oferece uma solução completa em ventilação mecânica que leva mais mobilidade e qualidade de vida aos pacientes.

O que é

Ventilação mecânica é o suporte oferecido, por meio de um aparelho, ao paciente que não consegue respirar espontaneamente por vias normais devido a fatores como doenças, anestesia e anomalias congênitas. Os ventiladores também são usados para permitir descanso dos músculos respiratórios até que o paciente seja capaz de reassumir a ventilação espontânea.

Indicação

Existem duas modalidades distintas de ventilação mecânica:

  1. Ventilação mecânica invasiva: quando o equipamento é conectado ao paciente por meio de tubo endotraqueal ou traqueostomia.
  2. Ventilação mecânica não invasiva: quando o equipamento é conectado ao paciente através de máscaras.
     

A indicação de cada uma das modalidades e dos diversos modos ventilatórios que elas oferecem ficará a cargo do médico responsável e dependerá do quadro clínico do paciente. As duas modalidades podem ser utilizadas tanto em ambiente hospitalar como em domicilio

Ventilação invasiva e Ventilação não invasiva

Quem precisa de ventilação mecânica domiciliar

O paciente é elegível para fazer o tratamento em casa se estiver estável, ou seja, não apresentar piora do quadro clínico.
Para ventilação domiciliar, é necessário que o paciente receba todo tratamento que recebeu no hospital em sua casa por meio de acompanhamento de empresas de Homecare, família ou de cuidadores.

O paciente que vai para casa com intenção de continuar o tratamento tem oportunidade retornar brevemente às suas atividades diárias. A convivência e a participação da família proporcionam melhor qualidade de vida e redução do estresse emocional, além de possibilitar maior privacidade e facilidade para voltar a ter a sua independência funcional.

O sucesso do cuidador domiciliar está ligado à qualidade, segurança da assistência prestada, assim como de entender as necessidades individuais de cada paciente.

Estrutura domiciliar

A residência deverá ser avaliada antes da alta hospitalar. A avaliação levará em consideração o espaço físico interno, largura das portas e corredores para mobilidade da cadeira de rodas, presença de escadas, qualidade da rede elétrica, quantidade e localização de tomadas, além das condições sanitárias da residência.

O ambiente no qual o paciente ficará alojado deverá ter boa iluminação (de preferência natural), umidade e ventilação. Todos os móveis e piso devem ser de fácil higienização. Podem ser necessárias algumas reformas antes da transferência do paciente a fim de prover um atendimento adequado e seguro.

Familiares: no processo de transferência para domicílio, é necessário que exista um envolvimento total da família e que tenham condições emocionais e psicológicas suficientes para acolher o ente querido, parcial ou totalmente dependente de suporte para vida em casa. Nesse caso surge o cuidador, que será o responsável pelos cuidados do paciente, podendo ser familiar ou não, o seu papel é de extrema importância! Já que é quem gerencia os cuidados referentes à alimentação, medicação e uso de equipamentos.

Deixe seu feedback

Você encontrou o que procurava no site?

Deixe seu feedback.