Pular para o conteúdo principal

Pé diabético - Cuidados com a pele vulnerável

22/07/2019 - 05:26 hs - Feridas
Cuidados com a pele vulnerável Pé diabético

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes, sendo que taxa de incidência da doença cresceu 61,8% nos últimos dez anos. A previsão para o ano de 2030 é que essa doença atinja mais de 550 milhões no mundo. Estima-se que pelo menos 25% dos portadores da diabetes vão ter algum tipo de comprometimento em seus pés, sendo que as complicações decorrentes ao pé diabético é a principal causa de internação do portador de diabetes. 

Analisando apenas o diabetes mellitus como diagnóstico principal, temos um custo anual de cerca de R$ 40,3 milhões, sendo 91% decorrentes das internações hospitalares. 

Estima-se que, mundialmente ocorram duas amputações por minuto, sendo a  causa mais comum de amputação não traumática dos membros inferiores complicações do diabetes, sendo que em torno de 85% dos casos havia lesão previamente.

Estudos comprovam que é possível reduzir as taxas de amputação em 49-85% por meio de uma estratégia de tratamento que combine a prevenção, uma equipe interprofissional no tratamento da diabetes, serviços especializados, monitoramento rigoroso e educação.

Abaixo listamos alguns cuidados para a prevenção de lesões nos pés:

  • Manter a glicemia sob controle;
  • Fazer acompanhamento com médico e nutricionista adequadamente;
  • Avaliar diariamente a integridade da pele dos pés;
  • Evitar andar descalço;
  • Utilizar sapatos confortáveis;
  • Calçar meias de algodão de preferência sem costura;
  • Cortar as unhas dos pés sem aprofundar nos cantos;
  • Lavar os pés e utilizar creme hidratante;

No nosso portfólio de produtos temos o Atrac-Tain®, especialmente desenvolvido para prevenir e tratar xerose (uma condição de pele seca muito comum em pessoas com pé diabético). Sua fórmula hidrata profundamente a pele tornando-a macia e suave

• Esfolia e suaviza a pele com ressecamento, fissuras e calosidade

• Clinicamente comprovado para prevenção de ressecamento da pele que eleva o risco de ulceração no pé.

• Sem fragrância, sem corante e sem conservante

Referências:

1. Bakker K et al. The year of the diabetic foot, Diabetes Voice, March 2005, Vol. 50(1): 11-14

2. International Working Group on the Diabetic Foot, International Consensus on the Diabetic Foot, 2007, 2011.

3. Jud E, et al. Assessment of the diabetic foot. Chronic Wound Care: Chapter 58, In: Krasner, D.L. et al., A Clinical Sourcebook for Healthcare Professionals, Third Edition, HMP Communications Inc.

2001: 589-597.

4. Armstrong DG, et al. Diabetic foot infections: stepwise medical and surgical management. International Wound Journal, 2004, Vol. 1(2): 123-132.

https://www.diabetes.org.br/publico/colunas/107-dr-fabio-batista/821-pe-... Acesso em 19/07/19

https://www.diabetes.org.br/publico/colunas/47-dra-marilia-de-brito/265-... acesso em 19/07/19

https://portal.fiocruz.br/noticia/taxa-de-incidencia-de-diabetes-cresceu... acesso em 19/07/19

Úlceras do pé diabético - Prevenção e tratamento - https://www.coloplast.com.br/Documents/Brazil/CPWSC_Guia_DFU_A5_d9.pdf Um guia rápido da Coloplast. Acesso em

19/07/2019

https://g1.globo.com/bemestar/noticia/gastos-do-brasil-com-diabetes-pode... acesso em 19/07/2019